Yoga e o Domínio da Mente e das Emoções

Domínio da mentePara alcançarmos o domínio da mente a das emoções, de modo tal que tornamo-nos nossos próprios mestres, podemos utilizar as ferramentas que a filosofia do Yoga nos fornece.

Emoções e Comportamentos

Nossas emoções e comportamentos são estados mentais, categorizados sob dois espectros, de acordo com o Vedanta:

  • Alegrias, exultação ou animação, e;
  • Pesar ou depressão.

Eles se originam, prevalecem e se alternam na mente, oscilando como ondas e afetando nosso oceano mental. Por exemplo: neste instante há alegria e cinco minutos depois há depressão.

Ademais, pessoas com modos melancólicos, atraem para si mesmas pensamentos tristes de outras pessoas e do akasha gravados no éter físico. Assim como, pessoas com pensamentos negativos, depressivos, de raiva e ódio, se magoam a si mesmas e levam esses pensamentos destrutivos aos outros, infectando-os.

Enquanto isso, pessoas cheias de esperança, confiança e espírito jovial, atraem pensamentos similares dos outros. Da mesma forma que pessoas com comportamentos felizes e alegres são uma bênção para a sociedade, pois elas trazem felicidade.

Por esse motivo, não devemos sair em público e misturar-nos com outras pessoas quando estivermos depressivos, odiando ou com ciúmes, para não injetar nos outros esses mesmos sentimentos.

Em conclusão, o domínio da mente é essencial para nossa paz de espírito, bem como para o bem estar social.

O Domínio da Mente e das Emoções

Quando emoções e impulsos o incomodarem, fique indiferente.

Diga a você mesmo: “Quem sou eu? Eu não sou a mente. Eu sou Deus, o espírito todo penetrante; eu sou puro SAT-CHIT-ANANDA (verdade, conhecimento, bênção). Então, como podem as emoções perturbar-me?”. Quando você repete essas sugestões, as emoções morrem por si mesmas. Este método de controlar as emoções é mais fácil que o método de drená-las para fora e lutar com a mente.

Os aspirantes de Yoga devem tentar erradicar a depressão pela oração, meditação, auto-inquisição, pensamentos alegres, entoar OM com sentimento e cantar canções sagradas.

Nunca dê espaço para depressões sombrias. Repita sempre: “Eu estou cheio de bênção. Minha natureza essencial é bênção”. Dessa maneira, a depressão irá se evaporar.

  • Quando você ficar muito tagarela, pratique o antídoto do silêncio imediato;
  • Quando você estiver odiando, desenvolva a virtude oposta – o amor. Então esse comportamento odiento passará;
  • Quando você se sentir egóico, comece a executar um trabalho desinteressado;
  • Contra o isolamento, tente misturar-se com os outros, através do trabalho, amor, amabilidade e perdão;
  • Nos momentos de preguiça imediatamente faça um trabalho ativo como jardinagem, corrida, uma caminhada vigorosa ou andar de bicicleta.

Eu sou meu próprio Mestre

Um jivamukta ou sábio liberado, está absolutamente livre de todas as espécies de comportamentos. Em outras palavras, ele já os controlou completamente, alcançando o domínio da mente e tornando-se seu próprio mestre.

Em Deus não há comportamentos. Identifique-se com Deus assim você destruirá facilmente todos os comportamentos. Você gozará imensa paz de espírito.

Não permita que as derrotas o desencorajem, mas continue fazendo o melhor que puder. Não se aninhe sobre suas faltas. Olhe-as quietamente para saber qual a razão porque você falhou, e, a seguir, tente de novo. Continue fazendo assim, pois você poderá fazer minguar as tendências que o levaram em tentação. Pensando muito nas próprias culpas, você somente as fortalece. Não faça muito espalhafato sobre faltas menores.

Quando surge uma dúvida de como uma pessoa poderá ter sucesso ou não na autorrealização, essa dúvida deverá ser dissipada por afirmações e sugestões bem direcionadas, como : “É verdade! Terei sucesso! Não há dúvidas!”. Nada é difícil, quando você resolve com firmeza.

Você é Eterno

O que é jovem ou velho? É o corpo. Você nunca nasceu e nunca irá morrer. Você é eterno, só o corpo tem idades. A alma sabe que é sem limites e imortal. É essa imortalidade que devemos realizar.

O pior medo é o medo da morte do corpo. Quando suas velhas roupas não servem mais, você as joga fora e veste outras novas. Todos nós temos corpos de modelos antigos. Não se aborreçam, conseguiremos novos corpos. Além disso, quanto tempo você irá viver nesse corpo? Quem sabe outros 50, 60 ou 70 anos?

Todos os nossos cemitérios não são mais que depósitos de sucata (velharias). Não há necessidade de ter medo da morte. Ria-se disso. A pessoa que tem medo da morte, morre todos os dias, mas um herói morre somente uma vez. Seja intrépido e orgulhoso. Morte significa mudança de forma. É inevitável, e acontece a cada minuto. Você não é a mesma pessoa que era há um minuto. Uma parte de você já está morta e outra parte está nascendo.

Para exemplificar:

  • Quando uma árvore morre, você faz pranchas;
  • Quando a prancha morre, você faz cadeiras;
  • Quando a cadeira acaba, você obtêm lenha; e
  • Quando a lenha morre você tem cinzas.

Nada pode ser destruído na verdade, nós apenas mudamos os nomes e as formas. Não há morte, de modo algum. O que é, sempre será. O que não é, nunca será. Aquilo que você chama de mundo, nada mais é que uma constante mudança de nomes e formas.

Por Sri Swami Sivananda – Adaptado pela Equipe IYTA Brasil

Clique e compartilhe: